Alckmin sobre alegação de fraude nas eleições: “Se não tem prova, tem que ser punido”

Com críticas à Bolsonaro, candidato a vice de Lula discursa a favor da democracia

Alckmin discursou oficialmente como candidato nesta 6ª feira, em convenção do PSB | Reprodução/PSB

De olho na principal aposta da chapa Lula-Alckmin para as próximas eleições, Geraldo Alckmin (PSB), fez duras críticas ao governo de Jair Bolsonaro (PL).

No primeiro discurso como oficialmente candidato a vice-presidente, o político saiu em defesa da democracia e relembrou as crises do atual governo. As afirmações foram dadas na convenção do PSB, nesta 6ª feira (29.jul).

Alckmin afirmou que o atual governo trouxe “divisão e injustiça” no Brasil, e alegou que os questionamentos ao sistema eleitoral devem ser apresentados com provas — no caso da falta delas, o vice defendeu punições, citando nominalmente Bolsonaro.

“Quem alega fraude tem de provar. E quem não prova, tem que ser punido pela farsa de acusar. Não vamos cair no jogo da mentira, não vamos nos render às manhas e aos desvarios de um presidente que não quer voltar para casa”, declarou Alckmin.

As críticas ao atual governo também foram relacionadas às despesas públicas e ao meio ambiente. Alckmin ainda citou as discussões internacionais, apontando como “inconsequentes” agressões a países parceiros.

“Erros nas relações diplomáticas que só causaram prejuízo ao Brasil e a pobreza agravada pela inflação se alastrou. A fome voltou e o sofrimento do nosso povo só se agravou”, disse.

Por Lis Cappi | SBT