Justiça determina internação a adolescente por assassinato da ex, morta a tiros em saída de escola em Pindamonhangaba

A vítima foi executada por ele, que foi detido e confessou o crime. Motivação dada à polícia foi que ele não aceitava o fim da relação.

Juliana foi assassinada a tiros — Foto: Arquivo Pessoal

A Justiça determinou nesta sexta-feira (1º) que o adolescente de 18 anos apreendido pela morte da ex-namorada, Juliana Fernandes Cândido, em Pindamonhangaba (SP) seja internado na Fundação Casa por ato infracional análogo ao feminicídio.

O crime ocorreu em maio e, ao ser apreendido pela Polícia Civil, ele confessou que agiu por não aceitar o término da relação com a vítima. Ele tinha 17 anos à época e completou 18 anos cinco dias após o crime. Ela tinha 19 anos.

O ato infracional é juridicamente equivalente ao crime quando cometido por um adolescente, como previsto pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Ele, que já estava como interno na Fundação Casa, não poderá recorrer em liberdade.

A sentença estabelece que ele pode ficar pelo período máximo previsto, que é de três anos, mas ele passará por reavaliações periódicas que poderão alterar o tempo de cumprimento da medida socioeducativa.

“A reprimenda aplicada é dentro das medidas socioeducativas a mais severa que existe. É necessário que seja assim, não só por uma questão de justiça, mas também para que seja uma resposta à sociedade de que atos de violência contra a mulher são intoleráveis”, comentou Sthela Simões Freire, assistente de acusação e presidente do Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres de Pindamonhangaba.

Familiares e amigos lembraram a morte de Juliana em passeata em Pinda — Foto: Arquivo Pessoal/Renan Fernandes
Familiares e amigos lembraram a morte de Juliana em passeata em Pinda — Foto: Arquivo Pessoal/Renan Fernandes

O crime

Juliana foi morta em 20 de maio na saída do curso que fazia. Por volta das 22h ela saia da escola e caminhava em direção ao carro do pai, quando foi abordada por um homem de capuz que fez os disparos.

Ela foi atingida na cabeça, cai e depois o homem segue fazendo mais um disparo. O pai sai do carro para socorrer, mas a jovem não resistiu aos ferimentos e morreu na hora. A ação foi flagrada por câmeras de segurança que ajudaram a polícia a identificar o autor.

O ex-namorado, 17 anos, se entregou e confessou o crime. A reportagem teve acesso a uma conversa que Juliana mandou a uma colega em que mostrava em prints o ex-namorado não aceitando o fim do relacionamento e depois mandou uma foto chorando.

Por g1